Alex Frantz

Técnico do Esportivo fala sobre o título do Interior: “A continuidade do trabalho foi determinante para o êxito”

O técnico Carlos Moraes, assumiu o Esportivo de Bento Gonçalves na Divisão de Acesso de 2019 e levou o clube da Serra ao vice-campeonato daquela competição e de quebra retornou à elite do futebol gaúcho. A direção do clube novamente contratou o treinador e sua comissão técnica para a sequencia do trabalho, agora na Série A do gauchão. O resultado: Conquista do Título do Interior, vaga na Série D do campeonato brasileiro e possivelmente uma vaga na Copa do Brasil.

O treinador avaliou a campanha do Esportivo no Gauchão desta temporada. “Uma campanha histórica do clube, momento difícil este ano por causa desta pandemia, conseguimos finalizar o campeonato gaúcho que começou lá em janeiro e hoje conseguimos elevar o patamar do clube, colocar o clube no cenário nacional e a conquista do título do Interior em cima de um planejamento que começou em outubro de 2019, então o que realmente fica é essa campanha, credibilidade que o clube depositou em mim, comissão técnica para a montagem do elenco, então todos estes elementos convergiram para essa campanha vitoriosa”.

O comandante alviazul também comentou sobre a manutenção, uma base do elenco mantida do grupo que conquistou o acesso para fazer parte do grupo de 2020. “No Brasil comentamos muito a questão de manter toda uma estrutura, longevidade de um treinador num clube, principalmente a longevidade do projeto e das ideias, mas nada disso seria importante se não tivesse a credibilidade da direção no projeto, a importância de manter uma base, mas principalmente na contratação de perfis que fazem com que a coisa andem. O clube foi colocado como candidato ao rebaixamento mas a grande receita foi a continuidade do trabalho e isso foi determinante para que tivéssemos êxito”.

Moares ainda salientou como funcionou a parceira entre direção e comissão técnica. “Sou suspeito em falar da direção, especialmente na figura do presidente Laudir Picolli, que foi uma pessoa que conheci em 2018 na época não era o presidente e depois foi conduzido ao cargo, fizemos a divisão de acesso, nos depositou toda confiança, em mim, no Gustavo Corrêa e o Anderson Aguiar, formamos essa trinca e deu certo, e com a credibilidade da direção e principalmente nos momentos mais difíceis por que sabemos que no decorrer de um trabalho sabemos que temos que tomar decisões e esse grupo, comissão técnica e direção conseguimos tomar as melhores decisões nos momentos mais difíceis que passamos inclusive o da pandemia”.

Foto: Kévin Sganzerla/NB Notícias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: